Siga-nos nas redes Sociais

Espaços

As Tradições de Natal famosas em todo o mundo

Publicado

em

As Tradições de Natal famosas em todo o mundo

Anualmente cumprimos muitas tradições de natal famosas em todo o mundo, entretanto por vezes desconhecemos como surgiram ou qual o seu significado real. Muitas destas tradições têm sido transmitidas através de gerações por mais de séculos, e é de extrema importância que você as conheça. Saber não ocupa espaço, e dessa forma estas tradições de natal que você cumpre nos dias de hoje poderão ser transmitidas aos seus filhos e para as próximas gerações.

O Bolo de Reis em Portugal

A origem do Bolo de reis ou Bolo Rei, remonta aos festejos romanos da festa Saturnália. A Saturnália era um festival da Roma Antiga em honra ao deus Saturno, que ocorria em 17 de dezembro no Calendário juliano se estendendo até 25 de dezembro. Na Saturnália, a população tinha por hábito eleger o “rei da festa” durante os festejos, o que era feito colocando uma fava seca (símbolo da fecundidade) numa torta doce redonda. Quem encontrasse a fava seca se convertia no rei da fava ou rei da festa.

O bolo de reis no seu formato atual surgiu na corte de Luís XIV, em França, para as festas do Ano Novo e do Dia de Reis, onde também eram incluídos no bolo uma fava seca e um brinde de porcelana, normalmente uma figura do presépio. A quem calhasse a fava era considerado o rei ou rainha da festa, era lhe também dado o direito de pedir um desejo, mas também deveria pagar o próximo bolo.

O bolo de reis popularizado em Portugal no século XIX segue uma receita originária do sul de Loire, o responsável foi o afamado confeiteiro francês Gregoire da Casa Nacional de Lisboa. Tradicionalmente o bolo de reis (ou bolo rei) era confeccionado e também vendido com fava seca e brinde no interior. A versão Bolo rainha com frutos secos existe apenas em Portugal.

O conceito do Bolo de Reis existe em diversos países do mundo, no México é chamado de Rosca de Reyes, em França recebe o nome de Gateau des Rois.

A Árvore de Natal

Martinho Lutero, o reformador protestante do século 16, foi o primeiro a adicionar velas acesas a uma árvore. Caminhando em direção a sua casa em uma noite de inverno, escrevendo um sermão, ele ficou maravilhado com o brilho das estrelas cintilando em meio às árvores. Para recapturar a cena para sua família, ele ergueu uma árvore na sala principal e colocou em seus galhos velas acesas.

A tradição de manter em casa uma árvore enfeitada com velas e demais adereços foi sendo difundida através dos anos e levada para outros países pelos imigrantes que saiam de suas terras e iam tentar a sorte em terras longínquas, desta forma a árvore de natal foi se perpetuando ao longo dos tempos através de gerações.

A origem do Cartão de Natal

O primeiro item conhecido que se parecia um pouco com um cartão de Natal foi dado ao rei Jaime I da Inglaterra em 1611. Ele tinha uma imagem de uma rosa no centro e uma mensagem de Natal e Ano Novo para o Rei e seu filho.

O costume de enviar cartões de Natal, como os conhecemos hoje, foi iniciado no Reino Unido em 1843 por Sir Henry Cole. Ele era um funcionário público dos Correios. Sir Henry teve a ideia dos Cartões de Natal com seu amigo John Horsley, que era um artista.

A medida que os métodos de impressão melhoraram, os cartões de Natal tornaram-se muito mais populares e foram produzidos em grande número por volta de 1860. Os cartões continham a mensagem: “Feliz Natal e Próspero Ano Novo para você”. A partir desta época foi que se criou o hábito de enviar e receber mensagens impressas de natal.

A origem do Pai Natal

Reza a história que o Pai Natal foi inspirado na figura de São Nicolau, bispo russo, devido a cor de suas vestes. São Nicolau ficou conhecido por sua caridade e afinidade com as crianças. A ele foram atribuídos vários milagres, sendo daí proveniente sua popularidade em toda a Europa. A cor vermelha então se tornou a cor para a farda do Pai Natal, personagem Natalino inspirado nas obras de caridade de São Nicolau.

A ceia de Natal ou a noite da Consoada

A ceia surgiu da tradição das famílias europeias antigas de deixarem a porta aberta para que os viajantes pobres pudessem participar da ceia na fria noite de natal. Foi então que começou o costume de ceiar na companhia de amigos e familiares.

A origem do Presépio

São Francisco de Assis é citado por ter criado o primeiro presépio vivo em 1223, a fim de cultivar a adoração a Cristo. Ele próprio fora recentemente inspirado por sua visita à Terra Santa, onde conheceu o tradicional local de nascimento de Jesus. A popularidade da cena inspirou comunidades em todos os países cristãos a realizar exposições semelhantes.

Presépios foram criados em todo o mundo e são exibidos durante a temporada de Natal em igrejas, casas, shoppings e outros locais e, ocasionalmente, em terrenos e edifícios públicos.

O significado da Estrela-Guia

Em astronomia, uma estrela-guia é uma estrela de referência usada para manter com precisão o rastreamento por um telescópio de um corpo celeste, cujo movimento no céu se deve principalmente à rotação da Terra.

A estrela colocada no topo da árvore de Natal é uma referê4ncia a estrela de Belém, ou estrela do Natal, que aparece na história da natividade do Evangelho de Mateus, onde “os sábios do Oriente” (Magos) são inspirados pela estrela a viajar para Jerusalém.

A estrela-guia ou também chamada de estrela cadente ajudou os três Reis Magos a chegar até a manjedoura onde Jesus nasceu. Ela os guiou com sua luz, por isso ela é chamada de estrela-guia. As estrelas por si só já representam luz permanente e um ambiente de paz e magia. Os judeus acreditam que as estrelas são anjos guardiões.

A origem do panetone

Em alguns países como Itália, no lugar do Bolo de reis, temos o famoso Panetone, um bolo recheado com frutas secas e uvas passas. Este tradicional bolo italiano, foi criado pela primeira vez no ano 900 por um padeiro chamado Tone (por isso o nome, pane-di-Tone (Pão de Tone); a segunda versão é a de que um mestre-cuca, Gian Galeazzo Visconti preparou o bolo para uma festa de Natal em 1395.

No Brasil, o Panetone chegou após a segunda guerra mundial, quando os imigrantes italianos resolveram reproduzir a receita consumida na época do natal. E desde então é um bolo que faz parte da mesa dos brasileiros, pois grande parte da população brasileira é descendente de italianos.

Cada país tem suas tradições de natal e sempre envolvem história e muito da cultura popular de cada localidade!

Esteja atento, este ano, mais uma vez a Lizgarden irá criar produtos exclusivos em arranjos florais e decorações natalinas para você celebrar o Natal com tudo o que tem direito em sua casa ou empresa.

A Lizgarden tem uma equipa de profissionais especializados em designer floral que poderá inclusivamente realizar um projeto de decoração exclusivo para sua casa ou empresa de acordo com as suas expectativas.

Para maiores informações poderá contactar-nos através do telefone (351) 218 429 960, que teremos todo o gosto em ajuda-lo.

Visite nossa loja online: Lizgarden

Conheça nossa página no Facebook: – Lizgarden

LIZGARDEN…ARTE & FLOR em forma de AMOR ♥

Foto: Santa claus photo created by gpointstudio

Populares